Após amplo debate em que foram contemplados vários assuntos de interesse da sociedade.

     

CARTA  DE  JOÃO PESSOA

                                                                        

No período de 22 a 24 de novembro de 2016, na cidade de João Pessoa/PB, Brasil, foi realizado o XX CFIS – CONGRESSO FEDERATIVO INTERESTADUAL SINDICAL promovido pela FASDERBRA – Federação Sindical dos Servidores dos Departamentos de Estradas de Rodagem do Brasil e também o IX CONGRESSO INTERNACIONAL DA COSUTRAVI – Confederación Sudamericana de Trabajadores Viales, Rodoviarios y Camineros.

Neste evento participaram representantes das entidades rodoviárias do Brasil, Argentina, Uruguai, e Chile, com o objetivo de debater e obter propostas para os diversos problemas existentes nos Sistemas de Transportes dos países citados. Ressalte-se também as deficiências na fiscalização pública em função do reduzido quadro de trabalhadores públicos.

Após amplo debate em que foram contemplados vários assuntos de interesse da sociedade e levando-se em conta que o Brasil atravessa a pior crise institucional, política e econômica da sua história, vivendo momento que não permite o cruzar de braços, queremos explicitar nosso repúdio e indignação em relação a vários projetos do atual governo brasileiro:

– Projeto que entre outras ações, todas danosas a sociedade, limita os gastos com educação e saúde, justamente aqueles itens de maior importância para o brasileiro, permitindo a continuidade do imenso dispêndio com a dívida pública que onera os recursos brasileiros na ordem de 45%. Propomos a imediata realização de auditoria nesse débito conforme determina a Constituição Federal em seu artigo 26 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias.

– Projeto da reforma da previdência social que retira direitos do trabalhador brasileiro e o transforma em escravo. Salientamos que apesar da grande mídia nacional propalar a existência de déficit, sabemos que há muitos anos a seguridade social é superavitária propiciando, por exemplo em 2015, um superávit da ordem de 11 bilhões.

– Projeto da terceirização que entre diversas determinações, prevê o repasse para terceiros das atividades fim dos órgãos públicos agravando assim o problema crucial do sistema rodoviário brasileiro e sul-americano, sucateando essas entidades, precarizando os serviços públicos, penalizando os trabalhadores e abrindo as portas para a corrupção, além de minimizar a qualidade na prestação de serviços.

 

João Pessoa, 24 de novembro de 2016.

Adolfo Garrido
Presidente da Fasderbra

Deixe seu comentário